WARREN BUFFETT VAI À REUNIÃO ANUAL DE ACIONISTAS 2019, COM US$ 100 BILHÕES EM CAIXA

Tempo de leitura: 3 minutos

Milhares de pessoas são esparadas em Omaha, Nebraska, para encontrar megainvestidor

NOVA YORK – A carteira do megainvestidor Warren Buffett está aberta para negócios novamente, bem a tempo de sua tradicional reunião anual com acionistas neste sábado.

Espera-se que milhares de pessoas participem da assembleia anual da Berkshire Hathaway em Omaha, Nebraska, dias depois da empresa de Buffett ter fechado um acordo para investir US$ 10 bilhões na petroleira Occidental Petroleum, negócio que recebeu a ajuda de Brian Moynihan, do Bank of America. A operação, que depende da Occidental conseguir vencer a disputa pela Anadarko Petroleum, daria garantias e ações preferenciais para a Berkshire.

Buffett recorreu a uma estratégia usada no passado ao exigir um alto preço de uma empresa que precisava de capital, assim como quando a Berkshire comprou participações acionárias avaliadas em bilhões de dólares no Bank of America e no Goldman Sachs. Os acionistas provavelmente vão querer saber mais detalhes sobre a Occidental no sábado e outras maneiras pelas quais Buffett pensa investir sua enorme pilha de dinheiro. Se a história serve de referência, os acionistas vão fazer muitas outras perguntas também.

Esta semana, Warren Buffett também informou que, pela primeira vez, comprou ações da Amazon . Em entrevista à emissora de televisão CNBC na noite da última quinta-feira, Buffett admitiu que errou ao não investir na gigante do varejo on-line de Jeff Bezos desde o início. Buffett há muito tempo tem elogiado a liderança de Bezos, presidente-executivo da Amazon.

– Sim, sou fã e tenho sido um idiota por não comprar – disse Buffett à CNBC.

Em fevereiro, o megainvestidor Warren Buffett admitiu que pagou “demais” pela Kraft, dona do ketchup Heinz e que é operada em parceria com a 3G Capital, do brasileiro Jorge Paulo Lemann.

Horas de papo

Buffett, que é presidente do conselho e diretor-presidente, e o vice-presidente Charles Munger normalmente passam horas na reunião anual, realizada em uma arena cavernosa, agora chamada de CHI Health Center. Os tópicos podem incluir sucessão, novos negócios, economia dos EUA e comércio global.

O caixa da Berkshire supera US$ 100 bilhões desde 2017 e é um foco para os investidores. O chamado “Oráculo de Omaha”, que construiu a Berkshire com aquisições e escolhendo participações acionárias, viu sua busca por uma grande aquisição interrompida com a disparada dos valores das empresas.

Em sua carta aos acionistas, o bilionário disse que 2019 pode ser outro ano em que a Berkshire vai gastar mais em ações enquanto espera pela aquisição do tamanho de um “elefante.”

Buffett fez 88 anos no ano passado, e Munger tem 95 anos. Mesmo que demonstrem resistência enfrentando os acionistas por horas, o planejamento sucessório é um assunto que certamente será discutido.

A Berkshire promoveu Greg Abel e Ajit Jain no ano passado como vice-presidentes do conselho, dando a Abel a supervisão de todas as operações não relacionadas a seguros, enquanto Jain ficou responsável pelas seguradoras. Para analistas do Barclays, a incerteza sobre a sucessão foi “amplamente resolvida” com as promoções, observando que Abel supervisiona uma área maior dos negócios e Jain é responsável pelas operações “líderes do setor”. Fonte: O Globo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *