Bitcoin para os Ricos – O que eles pensam a respeito?

Tempo de leitura: 10 minutos

Vale a pena investir em Bitcoin? Veja a opinião de grandes investidores mundiais

Diante da crescente onda de popularização em torno das moedas virtuais nos últimos anos, a pergunta se vale a pena investir nelas tem ganhado bastante notoriedade.

Acreditamos, contudo, que para se aprender sobre algo, independentemente do assunto em questão, não há nada melhor do que ouvir opiniões de pessoas mais experientes e, neste sentido, selecionamos os pontos de vista de grandes nomes empresariais e dos investimentos sobre as criptomoedas para que, assim, seja possível se analisar esse tópico sob diferentes óticas para se concluir se, de fato, vale a pena investir em Bitcoin.

Para as pessoas que ainda não possuem tanta familiaridade no assunto, uma breve introdução a respeito do tema se faz importante e necessária.

Afinal, o que são Bitcoins?

Assim como o Dólar ou o nosso Real, o Bitcoin também é uma moeda, mas que apresenta algumas peculiaridades que não se fazem presentes nas demais moedas tradicionais ao redor do planeta por conta de dois principais motivos.

O primeiro deles é que o Bitcoin é um meio de transação de valores totalmente virtual, ou seja, ele não possui a sua representatividade física e, portanto, dificilmente veremos alguma pessoa possuindo algumas “notas” ou “moedas” desse tipo de reserva de valor em sua carteira, haja visto que ela, de fato, não existe fisicamente.

O segundo grande motivo que a diferencia de uma moeda tradicional se faz presente no fato de que a sua emissão não é controlada por um Banco Central, isso por que ela é normalmente produzida por milhares de computadores de forma descentralizada.

A ausência de uma entidade reguladora tem a vantagem de evitar que a moeda sofra desvalorizações continuas através do tempo pela simples impressão do papel dessa moeda.

No entanto, grandes movimentos especulativos de oferta e demanda podem fazer com que o seu valor sofra alterações consideráveis no mercado de câmbio, que é negociado 24 horas por dia.

Dessa maneira, o fato de não possuir um órgão regulador é um dos principais pontos característicos dessa moeda virtual.

Fazendo-se uma comparação direta com o mercado de capitais aqui no Brasil, por exemplo, se um investidor envia uma ordem de compra para a corretora de valores a qual é cliente, e a mesma não é executada, esse investidor pode contar com o auxílio da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que possui o dever de ampará-lo e tomar os procedimentos legais para que o montante principal, nesse caso e em casos semelhantes a esse, seja reavido o quanto antes.

Em um mercado sem regularização definida, esse amparo dificilmente seria possível.

Dessa forma, é inevitável que exista um risco relevante presente no fato de não ser um meio ainda fiscalizado e regulamentado, apesar de existirem ainda muitas pessoas que acreditam que esse fator seja apenas um mero e insignificante detalhe.

COMO ENRIQUECER NA BOLSA

 

Bitcoins – Prós x Contras

Alguns são a favor, defendem o conceito existente na operação e, inclusive, empregam ali parte de seu capital.

Outras grandes figuras, porém, pensam de maneira diferente, chegando a afirmar que o fenômeno não passa de uma bolha e que seja um mero alvo de fluxos especulativos.

Analisar friamente ambos os “lados da moeda” é uma maneira inteligente de se aprender sobre o assunto e, portanto, compilamos e relatamos abaixo alguns conceitos levantados por alguns importantes personagens mundiais:

Pró: Mark Cuban

Ator, apresentador, empreendedor, e filantropo, Mark Cuban é um bilionário que, além de ser proprietário do time de basquete profissional da NBA (principal liga de basquete dos Estados Unidos) Dallas Mavericks, é também presidente da HDNet.

Mark Cuban

Além de ser uma grande personalidade empresarial, Cuban também é um aficionado pela tão falada hoje em dia Inteligência Artificial e, muito por conta dessa proximidade com o mundo digital, possui uma grande afinidade com as moedas digitais.

“O valor do Bitcoin se dá em função da oferta e da demanda; não é nada mais do que isso (…) Blockchain é uma ótima plataforma para futuras aplicações”, chegou a comentar o bilionário em entrevista.

Contra: Warren Buffett

Nada menos que o CEO da lendária holding Berkshire Hathaway, Warren Buffett dispensa apresentações.

Warren Buffett Sobre Bitcoins

Na posição de maior investidor de todos os tempos, Buffett acredita fortemente que o Bitcoin tem tudo para deixar muita gente desconsolada.

“As pessoas ficam empolgadas com movimentações que envolvem grandes altas nos preços, e Wall Street dá suporte para esse tipo de situação (…) não é possível se precificar o Bitcoin porque ele não é um ativo que gera renda. Ele é uma verdadeira bolha.”

COMO ENRIQUECER NA BOLSA

Pró: Bill Gates

Muito conhecido por ser um dos fundadores da Microsoft e estar frequentemente na lista das pessoas mais ricas do planeta, Bill Gates é também escritor e um grande filantropo.

Bill Gates

No que diz respeito ao Bitcoin, Gates é também mais um entusiasta do fenômeno.

“Bitcoin é empolgante porque mostra o qual barato ele pode ser. O Bitcoin é, ainda, melhor do que moeda corrente, muito por conta de não existir a necessidade de tê-la fisicamente no mesmo lugar e, é claro, em relação à grandes transações, as moedas comuns podem ser um tanto quanto inconvenientes.”

Contra: Charlie Munger

Simplesmente o braço direito de Warren Buffett no comando da Berkshire Hathaway, Charlie Munger compartilha do posicionamento de seu parceiro no que diz respeito às moedas digitais.

Charlie Munger

Em um evento ocorrido ao final de novembro do ano passado em Los Angeles, como parte de um evento para ex-alunos da Ross School of Business da Universidade de Michigan, Munger comentou de forma bastante direta:

“(…) é uma bolha louca, além de ser uma má ideia que atrai as pessoas para o conceito de riqueza fácil, sem muita visão de longo prazo ou um trabalho sério que leve a isso. Essa é a última coisa na Terra que as pessoas deveriam pensar a respeito (…) existem muitas coisas que não vão funcionar para você, descubra o que são elas e as evite o máximo que puder. Neste sentido, uma delas é o Bitcoin…. É uma insanidade total.”

Pró: Richard Branson

Richard Branson é uma celebridade britânica muito conhecido por ser o fundador do grupo Virgin, um conglomerado que investe em empresas de setores que vão desde a música até viagens aeroespaciais, passando por biocombustíveis, vestuário e a indústria de aviação.

Richard Branson

Branson costuma ser bem franco e direto quando o assunto são as criptomoedas.

Na sua opinião, o Bitcoin, como uma reserva de valor, está “indo bem”.

“Pode ser que surjam outras moedas como essa que possam vir a ser até melhores que o Bitcoin. Não podemos negar, todavia, que existe uma grande indústria ao redor dessa moeda. Pessoas fizeram fortunas com Bitcoin, ao passo que outras perderam dinheiro. Ela é volátil, mas as pessoas também ganham dinheiro com a volatilidade.”

Contra: Carl Icahn

Importante investidor americano, Carl Icahn é um nova-iorquino que se tornou bastante conhecido no mercado financeiro por participar de importantes aquisições de controle acionário de grandes companhias dos Estados Unidos.

Icahn

Em um comentário que fez sobre o fenômeno, o lendário investidor e ativista mencionou que não podia entender as recentes performances do Bitcoin e, além disso, comentou que visualizava o caso como sendo uma bolha financeira.

Eu não entendo isso. Se você ler livros de história que tratam a respeito de todas essas bolhas financeiras, você poderá constatar que é exatamente isto o que está acontecendo.”

Pró: Eric Schmidt

Ex-CEO da Alphabet Inc, holding que controla, dentre várias outras empresas, nada menos o Google, Eric Schmidt é Ph.D em Ciência da Computação pela Universidade da Califórnia em Berkeley.

Eric Schimidt

A sua visão em relação às criptomoedas também é positiva e otimista.

Visionário do ambiente tecnológico, Schmidt já comentou, em entrevista a repórteres, que o Bitcoin “é uma conquista criptográfica de extrema relevância. A capacidade de criar algo que não é duplicável, no mundo digital, tem um enorme valor”.

Contra: Ray Dalio

Fundador da Bridgewater Associates, simplesmente o maior hedge fund do mundo, que administra cerca de US$ 160 bilhões para fundos de pensão, universidades e famílias com grande poder aquisitivo, Dalio também mantém um posicionamento contra as moedas virtuais.

Ray Dalio

“É muito escpeculativo [os Bitcoins]. As pessoas pensam: ‘eu posso vender um preço mais alto?’, portanto, é uma bolha (…) em relação aos Bitcoins, você não pode fazer muitas transações e você não pode, também, gastá-lo de uma maneira simples. Não é, de fato, uma reserva de valor, porque possui uma alta volatilidade, diferentemente do ouro, por exemplo.”

Pró: Peter Thiel

Investidor de risco, empresário, empreendedor, e co-fundador do PayPal, além de ser autor do best-seller “De Zero a Um – O que aprender sobre empreendedorismo com o Vale do Silício”, Peter Andreas Thiel é mais uma personalidade que também mantém uma postura favorável a respeito do assunto.

Peter Thiel

Em uma entrevista para CNBC, ele explicou que o Bitcoin é muito mais que apenas uma criptomoeda.

“Eu acho que as pessoas estão, de certa maneira, subestimando o Bitcoin, pois ele é como se fosse uma reserva em dinheiro, ou seja, é como o ouro, e isso é apenas uma reserva de valor. Você não precisa usá-lo para fazer pagamentos ou algo do tipo”.

Contra: Vítor Constâncio

Vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Vítor Constâncio não considera o Bitcoin como uma moeda digital, mas sim como “uma forma de especulação”.

Vítor Constâncio

Numa coletiva de imprensa, o responsável, que já dirigiu o Banco de Portugal, mostrou que não tem medo que as criptomoedas possam colocar em cheque o Euro e comparou as moedas digitais à mania das tulipas, primeira bolha especulativa que se tem conhecimento na história da humanidade.

“A Bitcoin é como a febre da tulipa. É um instrumento de especulação para aqueles que querem apostar em algo que pode subir ou descer 40% ou 50% em poucos dias, mas certamente não é uma moeda, e certamente não a consideramos uma ameaça para o Banco Central Europeu ou a Política Monetária, com toda certeza”, disse Constâncio, na ocasião.

Mas ora, vale a pena investir em Bitcoin?

Ficou claro perceber que, dentre as celebridades dos meios financeiros e empresarial, os pontos de vistas variam bastante.

Uns apresentam um posicionamento esperançoso e positivo em relação ao fenômeno, ao passo que outros são céticos e temerosos.

A reportagem até aqui, é da Suno Research, onde ela deixa o leitor a vontade para decidir o que é melhor para ele.

Porém, eu Marcelo Veiga, acho que, se a Suno nao vende newsletter sobre bitcoin, é porque ela nao acredita nem recomenda. Pior sao casas de analises que aproveitam qualquer sopro de moda para vender inexcrupulosamente newletters e ganhar em cima dos inocentes. Bitcoin nao é investimento. Investimento é coisa segura e há concenso sobre ele. Curisosamente todos os grandes investidores bem sucedidos da entrevista, sao contra, e o demais simpatizantes, é essa a palavra que melhor se encaixa a eles, apesar de acharem as criptorarnadilhas legais ou interessantes, nenhum deles coloca um tostão de suas fortunas nisso. Simples assim.

Aprendam a investir de verdade, acessem o COMO ENRIQUECER NA BOLSA

Marcelo Veiga

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *